O que cabe em um trançado

por | ago 12, 2022 | Rolezinho | 0 Comentários

As mãos habilidosas de Dandara Marques, Odara e Patrícia Valverde são instrumentos potentes de ressignificação, resistência e resgate ancestral. Em “O que cabe em um trançado”, curta-metragem pernambucano lançado em maio deste ano, as trancistas falam de sua relação com o cabelo e as tranças, da importância da representatividade, da reconstrução da identidade e do fortalecimento de uma autoestima fragilizada por anos. Para elas, o trançar foi e é um instrumento de reconhecimento, valorização e respeito com os traços da cultura negra.  

Dandara, Odara e Patrícia também relatam suas vivências na infância e adolescência enquanto jovens pretas que sofreram com expressões do racismo em diferentes âmbitos – fosse na escola, família ou na mídia, onde a representatividade era quase insignificante e o conceito de beleza estava atrelado a características brancas. Grave responsável por abalar a autoestima de crianças pretas, o racismo nas escolas é o principal motivo da negação e distanciamento com as raízes e traços afrodescendentes. 

O curta-metragem intercala o depoimento das mulheres com cenas – representadas majestosamente por Cora Fagundes e Aline Mota – que retratam as experiências e processos debatidos na produção.  Conheça o trabalho das trancistas: Patrícia Valverde @studioafromucunan , Dandara Marques @dandaramarques__ e Odara @odaraonidiri.

Assista o curta completo pelo YouTube:

Share This