Eu voto em negra

por | ago 26, 2022 | Rolezinho | 0 Comentários

As eleições de 2022 estão próximas. É o momento em que a população precisa avaliar bem as propostas das e dos candidatos que disputam os cargos para deputadas(os) estaduais e federais, governadoras (es) e presidente. Apesar de ainda não ter atingido a equidade política, neste ano, o número de mulheres candidatas é considerado o maior: 33,27%, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Aumentaram, também, o número de mulheres autodeclaradas pretas e indígenas: 18,13% e 0,88%, respectivamente.

Mesmo com alguns avanços, a participação feminina ainda é desproporcional. Para promover mais equidade nas esferas de poder, diversas organizações promovem ações que ajudem na candidatura de pessoas negras, trans, lgbtqia+ e indígenas. Para ajudar a ampliar o alcance dessas iniciativas, o Rolezinho apresenta a campanha “Eu voto em negra”, que tem como objetivo diversificar as narrativas nos espaços de decisão. 

(Imagem: Divulgação/Campanha)

Incluída no Projeto Mulheres Negras e Democracia, a campanha “Eu Voto em Negra” atua em todo o Nordeste brasileiro e tem parceria com a Rede de Mulheres Negras de Pernambuco (RMNP). A partir de articulações com a Casa da Mulher do Nordeste (CMN); Centro das Mulheres do Cabo (CMC) e Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTR/NE), a campanha atua no sentido de fortalecer candidaturas de mulheres negras.

“Com a perspectiva feminista decolonial, para enfrentar os contextos de crise democrática no Brasil e na América Latina” o projeto realizou um ciclo de debates sobre racismo, violência de gênero na política e financiamento de campanhas. Com apoio do Fundo de Mujeres del Sur, a iniciativa dialoga com mulheres negras, rurais e populares.

Você pode se cadastrar para ser uma articuladora do movimento e receber as novidades e conteúdos da campanha. Para mais informações, acesse o site: euvotoemnegra.com.br/ ou Instagram: www.instagram.com/euvotoemnegra/?hl=pt e fique por dentro do que tá rolando!

Share This