Atlas da Violência 2021

por | dez 28, 2021 | Estudos de monitoramento | 0 Comentários





Quantificando e retratando a violência no Brasil a partir dos dados, de 2019, do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), o Atlas da Violência 2021 aponta como um dos alertas do universo pesquisadoo aumento das mortes violentas por causa indeterminada. O estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e com a parceria do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), aborda os recortes de raça, LGBTQI+, mulheres e inclui duas novas seções: a violência que atinge pessoas com deficiências e pessoas indígenas. O recorte racial chama atenção e indica muita preocupação ao registrar que 77% das vítimas de homicídios no país em 2019 eram pessoas negras. O percentual corresponde a 29,2 mortes por 100 mil habitantes entre negras/os. Já entre pessoas amarelas, brancas e indígenas o quantitativo é de 11,2 por 100 mil habitantes. Em perspectiva de gênero, o Atlas registra que, no mesmo período, 66,0% de mulheres assassinadas no país eram negras.
Share This