Afrontosas comemora 1 ano com roda de conversa sobre comunicação e gênero

por | jul 27, 2022 | Notícias | 0 Comentários

Plataforma integra o projeto “Na Trilha da Educação. Gênero e Políticas públicas para meninas”

Ao longo de um ano de existência, o site Afrontosas se propôs reverberar pautas que ajudam a compreender o fenômeno das opressões vivenciadas por meninas e mulheres na sociedade e refletir sobre possíveis caminhos para a redução da desigualdade de gênero. Para marcar o primeiro ano de atividades do portal, o Centro Dom Helder Camara (Cendhec) promove, por meio do projeto “Na trilha da Educação. Gênero e Políticas públicas para meninas”, uma roda de conversa que terá transmissão ao vivo para o canal Afrontosas direto da sede da Caranguejo Uçá, na Ilha da de Deus, Zona Sul do Recife. 

Com o tema “Comunicação para revolução: Gênero e raça em pauta”, jornalistas pernambucanas e comunicadoras populares vão conversar sobre os desafios de um jornalismo que visibiliza e aprofunda pautas dos Direitos Humanos, especialmente dos direitos das meninas e mulheres. Na oportunidade, serão apresentadas as experiências de projetos independentes, os tensionamentos que propõem e importância deles para a defesa de crianças e adolescentes. 

O debate contará com as participações de Martihene Oliveira, jornalista e idealizadora do Coletivo de Mídia Independente Sargento Perifa. Escreveu o livro-reportagem “Urubu Marrom – Relatos de uma jornalista da Favela”, que aborda, por meio do jornalismo literário, a realidade do racismo estrutural e suas variadas nuances. Recentemente teve a série de reportagem publicada no The Intercept Brasil com o título “Quantos Pretos Você Perdeu?”, que partiu da experiência da mesma e das rodas de conversa com comunidades periféricas do Recife sobre o genocídio negro que assola a população preta e pobre brasileira.

Outro nome confirmado é o de Flora Rodrigues, coordenadora da Rede de mulheres negras de Pernambuco, Articulação Nacional de Negras Jovens Feministas (ANJF), empreendedora digital, comunicadora popular, poetisa marginal. Flora escreveu do livro *BIBIZINE* e também atua como curadora do festival LIVMUNDI, maior festival socioambiental do Brasil . É ciberativista e desenvolve conteúdo para plataforma do Instagram apresentando vivências e enfrentamento ao racismo.

Do programa Ciranda das Mulheres, que integra a programação da Rádio Boca da Ilha, Kássia Kathilyn também entra na roda de conversa para falar de suas vivências enquanto comunicadora popular. Moradora da Ilha de Deus, pescadora, ela vai contar um pouco sobre a produção das pautas que prioriza temas de interesse das mulheres não só da Ilha de Deus como de comunidades vizinhas. 

O encontro acontece na sede do coletivo Caranguejo Uçá, e contará com a mediação da jornalista e editora do site Afrontosas, integrante da equipe de Comunicação do Cendhec, Lenne Ferreira. Quem também participa da conversa é a pedagoga do Cendhec e ativista pela educação da Rede Malala, Paula Ferreira. Coordenadora do projeto “Na Trilha da Educação. Políticas Públicas para meninas”, Alcione Ferreira, que também participa do evento, acredita que a plataforma tem possibilitado a ampliação do alcance de temas importantes para o enfretamento às desigualdade de gênero.

“Para nós, é muito gratificante comemorar um ano da plataforma Afrontosas que tem sido fundamental para difundir pautas que estão no foco da atuação do Cendhec através do projeto Na Trilha que visibilizam questões que precisam ser discutidas pela sociedade e pelas esferas públicas no sentido de garantir políticas públicas que tragam dignidade para a vida das meninas”.

Share This